You set my soul on fire

Sem Título-1

Anúncios

Mindfuck do amor da semana

The anti-preneur manifesto

I don’t want to be a designer, a marketer, an illustrator, a brander, a social media consultant, a multi-platform guru, an interface wizard, a writer of copy, a technological assistant, an applicator, an aesthetic king, a notable user, a profit-maximizer, a bottom-line analyzer, a meme generator, a hit tracker, a re-poster, a sponsored blogger, a starred commentator, an online retailer, a viral relayer, a handle, a font or a page. I don’t want to be linked in, tuned in, ‘liked’, incorporated, listed or programmed. 
I don’t want to be a brand, a representative, an ambassador, a bestseller or a chart-topper. I don’t want to be a human resource or part of your human capital.

I don’t want to be an entrepreneur of myself.

Don’t listen to the founders, the employers, the newspapers, the pundits, the editors, the forecasters, the researchers, the branders, the career counselors, the prime minister, the job market, Michel Foucault or your haughty brother in finance – there’s something else!

I want to be a lover, a teacher, a wanderer, an assembler of words, a sculptor of immaterial, a maker of instruments, a Socratic philosopherπ and an erratic muse. I want to be a community center, a piece of art, a wonky cursive script and an old-growth tree! I want to be a disrupter, a creator, an apocalyptic visionary, a master of reconfiguration, 
a hypocritical parent, an illegal download and a choose-your-own-adventure! I want to be a renegade agitator! 
A licker of ice cream! An organizer of mischief! A released charge! A double jump on the trampoline! A wayward youth! A volunteer! A partner.

I want to be a curator of myself, an anti-preneur, a person.

Unlimited availabilities. No followers required. Only friends.

— Danielle Leduc

 

Vi aqui, e foi uma dica excelente da querida Helô Campos :)

Seguindo o coelho branco

Desde sexta retrasada, abriram uma cortina cor de rosa ao redor do meu mundo. O que no momento era considerado ruim, ficou tão pequeno que deixou de ter importância. Desde então, o céu é sempre azul e o chão é um gramado verde e extenso, onde encontro-me deitada observando a vida.

De repente, uma revoada de corvos passa, puxando um misterioso homem de negro como se fosse um pequeno príncipe sinistro. Adiante, na colina, um monstro com chapéu de festa corre, repetindo seu nome a todo instante. Duendes escondem doces em uma árvore, onde uma menina brinca num balanço ali pendurado, sempre assistida por seu ursinho de pelúcia. E sou supreendida por um gato preto e branco, de nariz vermelho, que senta ao meu lado e me pergunta como foi meu dia.

Olho para a direta. Um homem coelho, branco e com óculos quase iguais aos meus, está deitado ao meu lado, observando um pinguim que voa no céu.

Suspiro feliz e dobro os braços atrás da cabeça. Me estico. Não posso me queixar de mais nada: a vida é doce, sim senhor.

(A contra-capa do meu livro “Ooops”, com desenho e autógrafo do cartunista argentino Ricardo Liniers, o homem coelho do texto. E é claro que não resisti e fiz uma foto com ele, depois do show dele com o Kevin Johansen ;D Não poderia estar mais feliz com este encontro!)

The Cherry Blossom Girl pour Etam

Moda não é nem de perto um dos meus assuntos preferidos, mas gosto muito de imagens inspiradoras e composições bem feitas. Foi numa dessas que eu caí de paraquedas no blog The Cherry Blossom Girl, da francesa linda Alix. Quem mais acha o blog dela suspirante?

Alix é dona de um quarto de querer morrer de inveja, além de ter um estilo bacana e o cabelo que eu queria ter quando criança.

Depois de algum tempo sem visitá-lo, resolvi entrar hoje, e, pelo que entendi (ou melhor, pelo que eu deduzi, porque je ne parle pas français), ela lançou em parceria com a marca de roupas femininas Etam, uma coleção de lingeries com o nome do blog.

As imagens, obviamente, só podiam ser muito bonitas, e é claro que eu não poderia deixar de mostrar por aqui as que mais gostei:

The Cherry Blossom Girl pour Etam from Alix on Vimeo.

Coleção Outono – Inverno

Sempre digo que no verão as pessoas ficam mais bonitas. Mas, quase que sem querer, no outono elas ficam muito mais charmosas. Não sou fã de frio, porém ficar quentinha me agrada e muito ;)

Vim pensando nisso debaixo de uma chuvinha fina, no caminho até a agência e, pra minha surpresa, quando desci do trem, o tempo já estava ensolarado. Caminhei sob o solzinho pensando que esse clima louco poderia acabar de vez hoje e ficar frio de uma vez por todas, afinal, algumas coisas ficam bem mais gostosas e interessantes nesse tempo.

Aí vão algumas:

Dormir de conchinha (via freshasdaisies)

Observar as folhas passando de verde para dourado (via otc242)

A cor do céu (via mindsponge)

 Café, preferencialmente bem cremoso (via wonderfulcoffee)

Bônus para café, acompanhado de livro (via wonderfulcoffee)

Cobertores (via aknitontheside)

 

E por fim, comprar sapatos, cada vez mais! Dessa vez, vou ser vítima da moda e comprar vários oxfords! Que meu cartão de crédito me perdoe, hihihi :P (via snowcherriesfromparis)